O nosso coração é um terreno fértil, aquilo que for semeado, conforme a terra, dará um fruto. E o inimigo tentará sempre semear no nosso coração, a amargura. 

É, assim, muito importante que cuidemos o nosso coração desta raiz.

Características da amargura: 

– Não se desfruta de nada. 

Embora não vejamos as raízes esperamos com fé, que dali brote algo. Como fizemos quando éramos pequenos com o feijão. Seja esse algo bom ou mau, irá sempre dar um fruto.

É muito importante identificar as raízes para que as possamos arrancar (pois cortar n é suficiente, uma vez que podem voltar a vir esses sentimentos através das memórias).

Como falámos a semana passada, esperar é complicado, mas temos de aprender a esperar as promessas de Deus, sem que fiquemos amargurados, mas sim com gozo, tanto na espera como na prova.

A amargura é uma das principais causas pelas quais os crentes vivem em miséria e pelas quais nos afastamos de Deus. 

O que é então a raiz de amargura?

– É uma angústia do coração (ora, o coração está na alma, onde está a nossa mente, emoções e vontade);

– É um estado de tristeza, desanimo, desespero;

– Desespero esse que vem por uma decepção, um sentimento sem esperança.

Os frutos da amargura são então: tristeza, dor, ressentimento, frustração, desanimo. 

A amargura manifesta-se numa ira reprimida e constante. E direcciona-se a Deus, aos demais e a nós próprios.

É um sentimento (cuidado com os sentimentos! Temos de aprender a viver baseados na verdade da bíblia e não por sentimentos – estes são perigosos e levam-nos a tomar decisões precipitadas) duradouro de frustração, ressentimento ou tristeza especialmente por ter sofrido uma desilusão ou uma injustiça. 

– Pomos a culpa em Deus por tudo. 

E dessa forma se prepara um terreno, no coração, muito fértil, para que Satanás chegue e ponha pensamentos e semeie coisas que darão frutos, frutos esses, maus.

No grego a amargura significa picar. É um veneno que contamina e nos faz esquecer todas as coisas boas.

Salmos 73:21

– A amargura também pode adoecer (ex: doenças relacionadas com os ossos)

Exemplo: Vida de asaf – salmos 73

– A amargura também vem da inveja;

Asaf era um homem que servia no templo, mas começou a comparar-se com os demais, a quem as coisas corriam aparentemente bem, apesar de serem maus. 

Mas não nos cansemos de semear e esperar o bom! Porque haverá sempre consequências para tudo, tanto para o bom, como para o mau.

– A amargura leva a um coração desagradecido;

Provérbios 17:22

A amargura de asaf acabou por passar, ao entrar na presença de Deus 

Como se origina a raiz de amargura?

  • toda a árvore é o resultado de uma semente, que cria uma raiz 
  • A raiz de amargura vai tentar criar divisão entre Deus e os homens e entre nós e os demais. 
  • A amargura quebra a unidade (ex: Adão e Eva (houve um pensamento de frustração, que criou uma emoção e levou a uma decisão) e aí produziu-se uma separação. 

Sementes que podem originar a amargura:

  1. Injustiças
      recebidas porque foste mal tratado em criança (maus tratos físicos, emocionais, sexuais, etc.)
    – Traição/Abandono (quando não é tratado, quando não ha perdão, cria amargura)
    – Roubo
  2. Rejeição – quando não te sentes amado, quando não experimentas o amor dos outros.
    – há vários tipos: a do ventre; separações/divórcios quando somos pequenos; durante a adolescência, etc. 
  3. Egoismo e orgulho: a amargura sai sobretudo quando temos fracassos pessoais
  4. Pela falta de perdão 

As características da raiz:

Provérbios 15:23

  • Faz-nos ter um rosto áspero;
  • Custa-nos relacionar com os demais;
  • Torna-nos agressivos
  • Faz-nos ter uma vida de tristeza e fracasso

Rute 1:19-21

Rute amargurou-se quando a sua família morreu, e não foi capaz de perdoar a Deus, considerou-o injusto e acabou por se afastar dele.

2 Co 11:3

Hebreus 12:14-17

– A amargura rouba-nos a paz (direto com os demais) e a santidade (direto com Deus);

(Santo é aquele que é apartado para Deus e que tem uma luta constante contra o pecado)

– Faz-nos perder a graça; 

– Contamina a outros (é como um vírus);

A raiz não se vê, só notamos quando ja começa a sair fruto, por isso é muito importante descobrir o que está encoberto, porque se esperarmos pelo fruto pode ser demasiado tarde, podemos ja ter perdido a paz, a relação com Deus, a unidade familiar, etc.

Vida de Esaú: exemplo de amargura. 

Esaú era fornicador e profano. Desprezou a benção de Deus, a progenitura. E depois amargurou-se contra o seu irmão, o seu pai, a sua mãe, e Deus. E levou essa raiz de amargura a toda uma nação. 

Para que a amargura se vá temos de perdoar:

  • A Deus 
  • A quem nos magoou 
  • A nós próprios

Estamos a carregar dores, ressentimentos, pecados e pessoas do passado, nos nossos ombros. Temos de libertar tudo isso! 

Deus quer-nos curar, mas temos de soltar essa carga!

– Pede perdão a Deus, perdoa-o se necessitas. 

– Perdoa a todos os q te ofenderam. 

– Renúncia a amargura

– E enche-te do amor de Deus. 

Para que o teu rosto mude e possas testemunhar de Deus. 

As pessoas não se vão converter com aquilo que nós dizemos, mas estão atentamente a observar-nos! 

Categorias: Pregações

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *